sábado, 7 de janeiro de 2012

Premeditação.

     
      Você sabia o efeito que aquele cabelo ia causar
      E não se importava.
      E o jeito que o seu vestido tinha-lhe aderido ao corpo
      Não a intimidava.
      O que os outros lhe diziam de jeito algum a incomodava.
  
      O jeito que seu olhar fumegava, em condensa brasa,
      me machucava.
      E o pior, o pior de tudo,
      É que tudo você premeditava.
  
      Lamurias não lhe chamavam atenção,
      Passavam-lhe ignoradas.
      E o jeito que o espelho reluzia seu corpo nu
      Me orgulhava.
      Não importava o tipo de sapato, a cor da bolsa que usava,
      Ela sempre se achava radiante, iluminada.
   
      O jeito que ela andava, gesticulava, falava cada palavra
      Me machucava.
      Mas o pior, o pior de tudo,
      É que tudo ela premeditava.


Texto de Pii de Oliveira em: algumaoutracoisa, pra quem tentou alguma coisa e não conseguiu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget