segunda-feira, 28 de junho de 2010

Medo do passado

Minha esperança, talvez, é que isso seja um sonho, que eu acorde e diga para mim mesma "tudo vai ficar bem".
Não. Eu não disse isso quando eu acordei, por que percebi que tudo era real, nada de filme, pesadelo ou pensamento.
Mas, eu sobreviverei? Talvez seja minha falta de sorte ou talvez seja a falta de inteligência, não, eu não sobreviverei, essa é a resposta. Triste? Não, mas confusa.
Os homens estão à espreita, querendo me ferrar. Eles não me pegaram, mesmo eu sendo tão medrosa. Vou me esconder onde ninguém me ache. Talvez no porão, debaixo da cama, nos quartos escuros da minha casa. Eles não vão me pegar. Não vão conseguir. Será que isso não vai acabar? Essa obsessão, essa perseguição. Mas tenho certeza que em casa estarei segura. Eles foram embora, foram embora..
Estão puxando meu pé, mas dessa vez eu não estou com medo, me sinto poderosa, me sinto segura e me solto das mãos fortes deles. Meus pés estão mais firmes no chão, minhas mãos estão mais seguras... Eu não estou com medo, não como tive a vida toda. Estou leve e confiante.
Descobri o que está acontecendo, estou no futuro, onde será muito melhor do que antes, do que todos os medos e toda aquela obsessão horrível.
No futuro não haverá nada, só eu e a minha vida.
E aqueles homens? Sempre vão estar aqui, mas uma coisa mudou, não tenho mais medo deles.
Nunca mais.

Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget