domingo, 3 de abril de 2011

Correndo parada

Eu seguia o meu mundo,
seguia a direção.
Não parava, não andara,
tava na contra-mão.
E no meio do meu estado
meio louco, meio retado,
vivo mentindo, sonhando, sorrindo.
E pela estrada eu corro
sem nenhuma direção
corro pro lado, corro pro outro
e corro mais um pouco.
Eu pintei a minha unha,
pintei o meu cabelo e
esqueci de pintar a minha cara por inteiro.
Cara de palhaça, cara de sossego,
cara de uma pesssoa que não tem muitos medos.

Tô parando, parando, parado, parando...
Parei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget