terça-feira, 12 de abril de 2011

Controlada por você

Na estante, o absurdo.
Eu estou sendo controlada.
Mas você sabe como eu sou,
E não é assim que você me vê.
Eu não sou a mesma pessoa.

Eu quero seguir você,
Mas, ao mesmo tempo,
Eu te repudio.
Não sei o que está havendo comigo.
Paralisada pela minha forma de ser.

Eu cansei, cansei de ser assim,
Mas eu não consigo me livrar dessa força que me prende.
Merda!
O que eu estou fazendo comigo?
Tenho que parar de me render, de pedir permissão.

Eu queria estourar a minha raiva, minha fúria.
Não sei aonde, não sei em quem.
Mas estou com raiva de ser assim.
Controlada, manipulada, útil.

Mas ao mesmo tempo,
Dá raiva de mim mesma,
Eu gosto ou parece que gosto de ser como eu sou.
E o pior é que continuo assim.
Controlada, paralisada e útil.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget