quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O mundo pertence a nós

Não sou escravo de ninguém, ninguém é o senhor do meu caminho,
Mas eu moro com a minha mãe, mas meu pai vem me visitar,
Lá em casa tem um poço mas a água é muito *suja,
Ei, olha só o que eu achei: cavalos marinhos,
Mas você sabe o que é ter pavor, pavor, pavor de baratas voadoras.


Será que sou capaz de enfrentar o seu amor?
De você fiz o desenho mais perfeito que se fez,
Desenho toda a calçada, acaba o giz, tem tijolo de construção,
Parece energia mas é só distorção e não sabemos se isso é problema ou é solução.


Ficaremos acordados imagimando alguma solução ,
pra que esse nosso egoísmo não destrua nosso coração,
Um dia pretendo tentar descobrir porque é mais forte quem sabe mentir,
não quero lembrar que eu minto também,
Os sonhos vem e vão e o resto é imperfeito.


Meu amor, se quiseres voltar - volta não, porque me quebraste em mil pedaços,
Não me entrego sem lutar, tenho ainda coração, não aprendi a me render que caia o inimigo então,
E o que dizem que foi tudo por causa de um coração partido, um coração,
Podem até maltratar meu coração, mas meu espirito ninguém vai conseguir quebrar.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget