sexta-feira, 1 de outubro de 2010

O tempo e a distância são minhas inimigas

Sim, eu ainda penso em você.
Eu sei que não é a melhor maneira de dizer que sinto sua falta, mas essa folha de papel está acabando, pois escrevi minha atividade de biologia.
Eu sei que você pode voltar a ser alguma coisa meu, mas é triste saber que você não senti minha falta. Queria que você soubesse que a melhor coisa que tinha em mim ficou em você.
Não posso mais olhar para os lados, não consigo seguir em frente. Sinto minha força indo embora cada vez mais.
Eu passo e você não fala. Você está me deixando sozinha. Eu posso me sentir completa com meus amigos, mas você era a pessoa que eu mais contava, mais gostava. Talvez essa fraqueza que eu passo agora seja o ponto forte da minha depressão e que eu esqueça você para sempre. Ou não.
Espero que você volte e que me dê aquele abraça apertado que você me dava. E que eu amava.
Eu peço a Deus que você caminhe com seus pés na direção que você quiser e que você seja incrivelmente feliz onde estiver e que a sua vida seja repleta de coisas boas. Mas eu peço também uma coisa, que você nunca esqueça aquela amizade forte que nós tínhamos e que você se lembre sempre de mim. Eu não sei como consigo suportar.
Talvez você olhe pra traz e diga que eu estava certa, mas sei que você está super feliz pra fazer isso.
Eu pensava que você era a unica pessoa que me entendia e me conhecia, mas pelo visto, eu descobri que você não se importa muito comigo.
Eu ficarei aqui, sentada nesse banco, esperando você se lembrar como erámos felizes e retomar a nossa amizade de onde parou.
E já vou, por que a folha de papel já tá acabando e o que eu tenho pra dizer é muita coisa pra caber aqui, então Tchau.




Beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget