segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Meu caminho

Eu vou lhe avisar, o mundo é cruel.
Estou tentando me concertar no passado e ver melhor meu futuro.
Voando sem  rumo, sem  passo, com  ninguém ,
Tento colocar o pé no chão, tento seguir em  frente.
Mas o vento sempre atravessa o meu rosto
E percebo que eu nunca vou parar de errar.
O que eu tento entender é
Como posso seguir em pé se já estou quase morta?
Eu tentei lhe avisar, mas  não podemos ser sempre assim,
O que passou foi o tempo e as lembranças.
O futuro guarda um segredo que ninguém quer saber,
O mais triste, o mais feliz, o mais normal que você possa imaginar...
Mas o vento sempre atravessa o meu rosto,
E percebo que eu nunca vou parar de andar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget